Da dificuldade de mudar hábitos
outubro 6, 2009

Ouvi um comentário e não pude deixar de dividir com vocês a reflexão. O comentário era de que algumas coisas são fáceis para alguns, mais muito difíceis para outros. E de fato acredito nisso. Para as pessoas que gostam de exercícios, quando falo em caminhadas diárias não parece nada assustador, mas para alguém que não gosta vai ser um verdadeiro esforço.

Nem sempre o que precisamos para nossa saúde ou bem estar é exatamente o que gostamos. Também pra mim, algumas coisas não são exatamente fluidas. E as vezes é muito difícil mudar alguns hábitos, incluir atividades, exercícios, chás, mudar alimentação, privar-se de alimentos que gostamos… Depois, quando conseguimos nos disciplinar e temos resultados, é muito gratificante – são conquistas saborosas.

Isso vale em várias situações. Por exemplo, quando, após introduzir exercícios de respiração, deixamos de ter insônia ou dores de cabeça, que tanto nos  incomodavam. Ou quando os alongamentos nos promovem visivelmente uma postura melhor e nossa coluna pára de doer, percebemos a importância da disciplina.

Ou ainda quando refletimos e resolvemos repensar nossa alimentação, fazendo opções saudáveis, dizendo não aos alimentos tóxicos e sentindo nosso corpo funcionar melhor e nossas medidas diminuírem. Aí sabemos, com certeza, que valeu a pena.

Mas são mudanças que só nós podemos assumir. Estas e todas as mudanças, que dependem só da nossa dedicação, da nossa opção. Tudo que queremos mudar pede trabalho.

E, quer saber? Muitas vezes nos surpreendemos com o prazer de alguma atividade ou com novos sabores e sensações, que não conhecíamos.

Vou continuar insistindo e lembrando as pessoas (e a mim também) que vale a pena acordar mais cedo pra caminhar, fazer exercícios respiratórios, beber água, massagear os pés, tomar chá de camomila…

Anúncios

Exercícios para pessoas com diabetes e hipertensão
setembro 22, 2009

Fui entrevistada pela Revista Uma a respeito de dicas para quem sofre de hipertensão e diabetes. Está na edição deste mês. Como o espaço na publicação tem seus limites, passo aqui alguns toques extras à leitora da revista – que, claro, também valem para quem não acompanha a Uma.

Caminhada diária é indispensável, tem que fazer mesmo! Só não vale se não for autorizada por seu médico. Os benefícios são muitos – melhorar a circulação e a respiração, oferecendo melhores condições de funcionalidade cardíaca, perder peso ou manter seu peso ideal, facilitando assim o controle da hipertensão e do diabetes.

Tenho algumas outras dicas de maior beneficio para hipertensão e outras para diabetes, todas sem contra-indicação, daquelas que todos podem fazer.

Para hipertensão, exercícios respiratórios são fundamentais, inclusive por serem reguladores de ritmo cardíaco e para despressurizar, tirar a tensão de tórax, diminuir o estresse e a ansiedade.

O suspiro é um dos mais eficientes. Há uma descrição passo a passo em um artigo em meu site (está aqui: http://www.kikalourenco.com.br/suspiro.htm), mas vou dar uma resumida. Minha indicação é que o exercício seja feito todos os dias, mais de uma vez, por puro prazer ou quando sentir qualquer alteração. Para condicionar o corpo e ter à mão este recurso, é preciso, sim, que independente de qualquer alteração você o faça todos os dias.

Vamos lá então. Você pode estar deitada ou sentada, ombros soltos. Respire lenta e profundamente, procurando direcionar sua respiração para o tórax. Concentre no tórax – afinal, vamos fazer também uma massagem cardíaca. Deixe o tórax se mobilizar para cima, para frente e para os lados abrindo toda a caixa torácica. Encha-o completamente, e então solte o ar pela boca num som de suspiro (ahhhhhhhhhhhhh…). Quanto mais sonoro, mais benéfico.

Assim que terminar de soltar todo o ar, inicie outra inspiração profunda, repetindo tudo outra vez, sem interromper o ciclo inspiração e expiração durante alguns minutos.

Você pode começar com cinco minutos e ir aumentando. Pelo menos uma vez por dia o faça com bastante concentração. Antes de dormir é ótimo. Mas ele pode ser feito no carro, quando o farol fechar, enquanto caminha, numa pequena pausa no trabalho, e sempre que você sentir que deseja ou precisa de uns bons suspiros. Nas primeiras vezes você pode sentir uma leve zonzeira ou formigamento. É devido ao aumento da oxigenação e é benéfico. Se o desconforto for grande, é só parar o exercício que ele desaparece.

Ainda para hipertensão, o relaxamento pode ser um grande aliado. Também diariamente, quando mais livre de tensões, mais nosso ser tem condições de boa funcionalidade. Aprender a meditar também é muito bom.

O diabético precisa que os órgãos abdominais envolvidos na produção e no fluxo de insulina tenham sua vitalidade estimulada. Aqui vai um exercício dos mais poderosos na recuperação de órgãos abdominais e sua funções.

Respire lenta e profundamente pelo abdômen, deixando fazer um barrigão, solte o ar vagarosamente e contraia o abdômen enquanto solta o ar. Então mantenha pelo maior tempo possível o abdômen contraído. Durante esta permanência, o contraia cada vez mais, descobrindo músculos abdominais que vão sendo despertados, fortalecidos, e que vão massageando cada vez mais profundamente todos os órgãos do abdômen. Este exercício também ajuda na manutenção do seu peso ideal. É um exercício de fato poderoso. Se fosse descrever todos seus benefícios ficaríamos aqui por muito tempo – e tenho outra sugestão.

Massagem nos pés tem também a finalidade de manter tudo funcionando direitinho. É região de terminais nervosos que funcionam como zonas reflexas que, estimuladas, restabelecem as funções dos órgãos. Há um post mostrando um passo a passo de como massager os pés, com foto e tudo, aqui, no blogue. O título é Pés a obra. É tudo simples – veja no link: https://kikalourenco.wordpress.com/2009/08/12/pes-a-obra.

Dormir bem é outro recurso para quem tem diabetes. Durma bem, tanto em quantidade quanto em qualidade. Fazer relaxamento e respiração ao deitar pode ajudar na qualidade do seu sono.

A verdade é que nós precisamos ser agentes da nossa saúde. Muitas vezes, a melhora está muito mais nas nossas mãos do que apenas nos medicamentos. Um pouco de disciplina e uma atenção carinhosa podem sim mudar um paradigma de saúde.

Chazinho da vovó
março 31, 2009

Lembra quando você ficava com uma dorzinha de barriga e alguém com espírito de vovó, ou a própria vovó, colocava uma chaleira no fogo pra fazer um chazinho de ervas milagroso? Você tomava quentinho e docinho de mel, e fazia um tremendo bem pra alma aquele carinho e aquele quentinho. Mas não só para alma. As plantas têm princípios ativos e podem resolver vários desconfortos.

Uma digestão difícil, camomila resolve. Uma crise de ansiedade, melissa. Se um pouco deprimido, alecrim. E você pode misturar dois. Por exemplo, capim cidreira para dormir melhor, e combina com camomila.

Para falar a verdade, eu só queria despertar em você a vontade de por uma chaleira no fogo e lembrar do ‘espírito de vovó’ que há em você.

Um chazinho quente acompanhado de um descanso pode te deixar muito bem.